terça-feira, 26 de outubro de 2010

A Janelinha.


Alicia caminha de bicicleta por um velho e desconhecido bairro, ela anda sem rumo e sem preocupações, sua bicicleta é clara e tem uma cestinha com algumas flores coloridas, ela anda, anda e anda, até chegar em uma rua sem saída, uma rua cheia de arbustos nas casas, segundo a placa seu nome era "Rua 12", uma ruazinha estreita com o chão feito de pedregulhos bem escuros e com folhas secas caídas sobre ele. Ao chegar perto da última casa da rua, Alicia percebe uma beleza diferente, algo tinha ali, naquela janelinha, ela não sabia e nem iria se atrever a bater na porta da casa para perguntar, mas a janelinha com um vaso de flores secas ao lado lhe trazia uma felicidade imensa, algo tão aconchegante que nada seria capaz de explicar, uma lágrima caiu do rosto de Alice, e olhando para janelinha ela permaneceu por mais alguns minutos, e seguiu novamente seu caminho. Dia após dia, ela retornava para a tal ruazinha para ver a tal janelinha, um dia, não se sabe o porque, ela não mais voltou, e la permaneceu a janelinha, sempre do mesmo jeito.

Nenhum comentário: