domingo, 14 de novembro de 2010

Eco pelo perdão.


Das profundezas do além, um barulho ecoava sem limites, ele era notável e atormentador, até que uma bela voz, um barulho, começou a sussurrar, aclamando a paz de sua alma, tal eco, tinha a voz de uma sereia, de uma lenda.
As vibrações sentidas nunca mais seriam as mesmas, o pedido era contínuo, algo precisava de ajuda.
Uma jóia foi vista, foi mostrada, ali se concentrava todo o ardor de uma paixão, de um sofrimento,e o eco continuava sem parar, gritando aos focos de luz.
O som continuava, e continuava, a sereia já não ecoava e sim cantava com seus lábios esplendorosos, ela tinha em seu coração algo gritando por paz, por prazer, por perdão.
Ela só quer ajuda, ela só quer o perdão, e eternamente irá chamar por ele.